domingo, 25 de maio de 2008

Indiana Jones

Eu achei que logo que assistisse ao quarto Indiana Jones, iria vir ao blog correndo para escrever. Mas já se passaram três dias e a empolgação não veio. Então deixa eu colocar logo uma pedra nisso.

O filme me divertiu bastante. É claro que Spielberg sabe filmar cenas de ação, sem a overdose de cortes que um Michael Bay promove nos seus lixos. E é claro que ele tem uma proposta de cinema, sempre futucando os temas que lhe interessam (relação entre pai e filho é o mais óbvio). Mas o filme nunca vai além da mera diversão, um passeio num parque de diversões esquecível, assim como tantos outros que surgiram nos últimos 19 anos, como A Múmia, alguns 007, algumas seqüências de Piratas do Caribe 1 e 2 (o terceiro é um tédio só).

Talvez algumas cenas tivessem sido memoráveis caso eu assistisse ao filme numa sala de cinema decente. A explosão nuclear no início do filme e a destruição final parecem ter um design de som absurdo. Mas o Moviecom de Vitória da Conquista, como eu já disse antes e não vou me cansar de dizer, é um lixo.

De qualquer forma, isso não é desculpa. Spielberg tem talento de sobra pra nos surpreender com cenas mágicas, de encher os olhos. Ao menos tinha lááá nos anos 80. Mesmo Jurassic Park e Guerra dos Mundos, filmes mais recentes, tem destes momentos. Indy 4, não.

Claro que a trilha clássica e cenas de Mister Jones Jr. e Marion causam uma certa comoção e arrepio, mas isso é por conta de uma adoração que todo cinéfilo tem com os personagens e os filmes anteriores. Quase nada é devido ao filme novo.

Seja como for, é divertido. Gosto da caricatura EXTREMA que é a Cate Blanchett, acho que combina com o tom que Spielberg resolveu dar a aventura, onde Indiana se safa das situações mais absurdas de toda a série (geladeira de chumbo?). Ponto positivo também para as referências da época: a bomba atômica, as roupas, a obsessão do personagem de Shia L. com o cabelo. A cena final também é ótima: nada de passar o chapéu.

Mas pelo fato de Spielberg não abusar dos efeitos, tentando ser fiel ao espírito de aventura à moda antiga que era característica básica da série, esperava por algo que durasse mais na memória. Infelizmente, não é o caso. Mas é divertido enquanto dura.

Nenhum comentário: