sábado, 12 de julho de 2008

O Nevoeiro (The Mist)



Uma agradável surpresa foi ter visto "O Nevoeiro", novo terror de Frank Darabont, adaptado de obra de Stephen King. O filme chegará diretamente em DVD no Brasil em Setembro, uma má notícia, já que merecia ser visto nos cinemas, onde os sustos e o clima de suspense sempre são maiores por serem compartilhados entre um grupo de pessoas.


Darabont parece ser o cara certo a adaptar Stephen King para o cinema. Ambos parecem ter uma sintonia muito grande, e dessa parceria já saíram o muito bom "Um Sonho de Liberdade" e o muito ruim "À Espera de um Milagre", ambos indicados ao Oscar de Melhor Filme. Não vou entrar nos méritos do primeiro, mas "O Nevoeiro" reforça algumas coisas já sentidas em "À Espera de um Milagre": que o diretor não é eticamente confiável, utilizando com talento os recursos mais maniqueístas possíveis para que o espectador sinta-se bem com a morte daqueles que (segundo nós mesmos) merecem. O problema é que o filme com Tom Hanks é um drama "sério" sobre a pena de morte, enquanto "O Nevoeiro" tem ares de filme de terror B, e sua visão de mundo condenável acaba não sendo tão relevante. Ou deveria ser, mas confesso que acabei me divertindo mais do que me chocando com o fascismo do diretor.


A tempestade anuncia o que está por vir...


Não vou me alongar na sinopse, porque uma história de Stephen King sempre traz um ponto de partida interessante para se afundar nas suas conclusões, na maioria das vezes, ruins. O que importa em "O Nevoeiro" é a viagem e não o destino, muito embora é o final do filme que está sendo vendido como a grande sensação da obra.


Mas o filme se passa em uma pequena cidade invadida por um nevoeiro após uma forte tempestade que deixa o local sem energia elétrica. Mas não se trata de um simples nevoeiro... e não sou eu quem vai dizer o que acontece, mas o fato é que Darabont cria um crescendo impressionante de terror e suspense, desde o início do filme, que torna irrelevante todos os aspectos ruins presentes.


... o nevoeiro que vêm...


Porque, sim, há muita coisa risível no filme, a começar pelo elenco, especialmente péssimo. O protagonista, particularmente, um tal de Thomas Jane (que fez "O Justiceiro") é de doer na alma, e são dele as cenas dramáticas mais importantes. Os diálogos também não contribuem e, juntando-se a um uso muito tosco de CGI, talvez a defesa da obra é que a proposta seja mesmo se tratar de um filme B dos mais divertidos.


... e engole a cidade...



Algo que me chamou a atenção é como o filme gasta um tempo incomum para mostrar os personagens sem acreditar no que está acontecendo, o que me lembrou ideologicamente "Cloverfield" e a nossa obsessão por imagens para acreditarmos no real. "O Nevoeiro" também investe tempo na representação de uma microsociedade, através de personagens que se tornam a Lei e a Religião do local, com comentários ácidos para ambos os lados. Para além de todo terror recheado de sangue e cenas escatológicas, trata-se também de um filme político que o fascismo de Darabont acaba prevalecendo.


O ponto central do filme talvez seja a personagem de Marcia Gay Harden, uma religiosa fundamentalista que rapidamente se torna a figura mais irritante em cena, cujo discurso irá gerar conseqüências mais assustadoras que o próprio nevoeiro, beirando o absurdo e exigindo do espectador total adesão ao que ocorre na tela. A crítica aos movimentos religiosos é forte, mas é de se perguntar se o objetivo era realmente este ou um outro moralmente indefensável, que é gerar na platéia alguns dos sentimentos mais terríveis que o ser humano pode ter. Porque, pelo que já li em fóruns sobre o filme, é isso que acontece.


... e esconde o horror.


Já o final tão comentado do filme, é realmente corajoso e seria muito mais forte se tivéssemos bons atores em cena. O problema é que a resolução parece reforçar justamente o discurso que o filme todo parecia condenar, o que me leva a crer que o Frank Darabont é um fundamentalista cristão dos mais cretinos (até porque, me disseram, o final da obra de King é diferente). No entanto, trata-se de um cretino com talento para manipular emoções. Os sustos e a tensão não param, o caos é construído de forma exemplar, a ponto de deixarmos pra lá as explicações bobas que o filme tenta dar para o que acontece. Depois de "O Nevoeiro", acho que Darabont deveria se restringir aos filmes de terror.

8 comentários:

Wally disse...

Só ouvi falar coisas boas desse filme até agora. Darabont é mesmo bom diretor e é uma pena que o defeito do filme seja o elenco, acho Harden uma atriz sempre excepcional.

Assim que estreiar, verei!

Ciao!

Vinícius P. disse...

Acho que não tive nenhuma surpresa maior em relação a algum filme nesse ano. "O Nevoeiro" é tudo e um pouco mais do que você comentou, um dos melhores longas do gênero que já vi! E achei o final perfeito, apesar da polêmica. Pena que será lançado em DVD, droga!

Parabéns pelo texto!

Rafael Carvalho disse...

Hélio, a sessão de Fim dos Tempos não estava cheia e embora a sensação final da galera é de pura decepção, não houve nenhuma manifestação de chacota durante o filme. Mas bem que deu vontade de dar umas boas gargalhadas em alguns momentos.

Sobre O Nevoeiro também não li seu texto por não ter visto o filme ainda, mas só vejo comentários positivos sobre essa adapatação do King. E já li váarios elogios à atuação da Marcia Gay Harden. Espero ansiosamente!

Kamila disse...

Eu gosto muito de Frank Darabont e ele é quase um mestre nas adaptações de obras do Stephen King. Quero ver esse filme muito por causa da Marcia Gay Harden, que todos elogiam demais!

mi do carmo. disse...

To sabendo desse filme...

Red Dust disse...

Um bom filme, que joga enormemente no inferno do exterior vs inferno do interior. Marcia Gay Harden está fabulosa, mas há muito tempo que não via uma personagem tão irritante.

8/10.

Abraço.

Johnny Strangelove disse...

Vai pro dvd ... sei não ... mas também o atraso é dolorido ... então pode se dizer que a tensão do filme esquece os defeitos dele?

vamos ver se é isso mesmo ... abraços

Matheus disse...

sinto discordar de voce mas foi um dos mlhores filmes que eu ja vi, foi muito bem bolado e a trama e perfeita, bem como a atuaçao dos personagens, mas vc apresenta argumentos muito fortes e seu texto tambem e otimo!
parabens!