segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Séries de TV

Janeiro foi o mês de estréia das novas temporadas de algumas das séries que eu mais esperava ver. Abaixo, breves comentários do retorno delas, na ordem das maiores expectativas para as menores:



1. Battlestar Galactica - A segunda parte da quarta e última temporada de uma das melhores séries da atualidade. Pouca coisa hoje discute com tanta propriedade sobre política, religião, sociedade, e que traz tantos personagens com conflitos tão interessantes. O primeiro episódio do ano, "Sometimes a Great Notion", foi um desses momentos especiais que só essa maravilhosa série pode dar: carregado de pessimismo e desesperança, o ponto alto é um surpreendente suicídio. A morte nunca foi tão bela, triste, misteriosa, impactante. O que veio depois não foi menos incrível. Os roteiristas trataram logo de nos revelar um dos grandes mistérios da série (quem era o último Cylon misterioso?) e preparou o terreno para uma tensa e sensacional rebelião, que certamente deixou todo fã com o coração na mão. Infelizmente, tudo acaba em apenas mais sete episódios. E se continuar assim, sem dúvida será algo histórico.



2. Lost - A quinta temporada da mais cultuada série da década volta com necessárias mudanças na estrutura narrativa, mas resolve investir naquele que é um dos elementos mais difíceis e complicados para qualquer roteirista: viagens no tempo. Curiosamente, as coisas continuam nos eixos após três episódios. Mas nem por isso tão interessantes. Diretores e roteiristas têm apostado muitas vezes em um suspense um tanto ridículo para situações que na verdade não geram suspense nenhum (o season premiere, aliás, praticamente tem isso do início ao fim, com os mais diversos personagens filmados nas sombras, de costas, em detalhes, para serem revelados no "momento apropriado", mas em nenhum deles causa o efeito esperado). Ainda assim, o que tem salvado este início de temporada é esta insuperável capacidade que a série tem de revelar mistérios e gerar outros tantos como se fosse a coisa mais natural do mundo. O terceiro episódio, "Jughead", por exemplo, traz uma dessas revelações que você imediatamente diz "Hein?!" e fica com vontade de aplaudir pela forma como nos é revelado. E, claro, há as atuações de parte do elenco (eu detesto o físico). Ben, Locke e Sawyer são, de longe, os pontos altos.



3. 24 Horas - Dois anos sem Jack Bauer parecia ser tempo suficiente para os roteiristas repensarem "24 Horas" e não cometerem os mesmos erros que fizeram da sexta temporada o pior momento da série. Infelizmente, parece que não foi o suficiente: repisando nos mesmos elementos de sempre (os mesmos dilemas presidenciais, as incríveis infiltrações nas organizações), diálogos pavorosos, a série se tornou um pastiche de si mesma. O início foi promissor, em especial pelo retorno de Tony Almeida (amplamente divulgado há meses) e algumas boas idéias sobre tortura e o desmantelamento da CTU. Mas depois veio mais do mesmo. De qualquer forma, em respeito às brilhantes temporadas anteriores, o jeito é acompanhar e torcer pela melhoria.



4. Damages - Ainda sem ter visto o quarto episódio desta segunda temporada, "Damages" está o verdadeiro samba do crioulo doido: um episódio com flash-foward (repetindo a fórmula de sucesso da temporada anterior), outro com inúteis e irritantes flashes de episódios anteriores, e um terceiro episódio com flashbacks de 10 anos antes, igualmente inúteis. Para piorar, subtramas demais, personagens demais. Não duvido que os roteiristas sabem muito bem o que querem e que no fim teremos uma trama redonda e amarrada. Mas por enquanto a série está valendo apenas por William Hurt, com uma atuação cheia de sutilezas, que nos deixa sem saber quais as intenções de seu personagem.

2 comentários:

Kamila disse...

Ainda não conferi nenhuma das séries, porque eu espero que as mesmas estreiem no Brasil. Mas, confesso que estou ansiosíssima por "Damages". As novas adições ao elenco principal do programa são sensacionais!!!

Michele do carmo disse...

Sobre as séries:

Estou muito chateada porque aquele ET ainda não apareceu em BG.

Lost comecei a gostar do terceiro, um pouco.. tava sentindo nos dois primeiros aquele desapontamento comum às séries que se perdem.

24- Achei um absurdo Bauer ter escapado daquele acidente de avião! Mas é a cara dele, né? Por isso que é o máximo!

Damages eu gostei. Lembro que essa confusão na minha cabela acerca dos "flashs vai e volta" no inicio da primeira também me deixou meio assim "quááá", mas depois fui me envolvendo... só não fui com a cara mesmo desse Willian Hunt que vc gostou...quáá...