segunda-feira, 1 de junho de 2009

Filmes Vistos em Maio


(Editando: Acabei me esquecendo de listar "Um Homem Bom" entre os filmes vistos deste mês. Como não me lembrei dele, já dá pra imaginar em que categoria ele está...)

25 filmes vistos num mês pode não ser um número invejável pra alguns, mas foi minha melhor marca este ano até agora. Na verdade, a melhor desde Outubro quando vi 63 filmes (60 deles na Mostra de SP).


Mais uma vez a ordem de preferência e as categorias em que divido os filmes não faz jus a certos filmes. "Three Times", por exemplo, traz três histórias diferentes, sem relação nenhuma entre elas (mesmos atores, mas momentos históricos, situações e personagens distintos) e a primeira delas é uma obra-prima absoluta, lindíssima. Mas os outros 2/3 do filme, embora excelentes, não chegam ao mesmo nível. Daí ter sido classificado apenas como um grande filme.


Em outros casos pode parecer estranho, como "Romance" estar numa categoria superior a de "Café Lumiere", filme de maiores pretensões e complexidade, mas o filme de Arraes me trouxe uma sessão das mais agradáveis (e era revisão), enquanto o de Hsiao-Hsien não me conquistou (sem dúvida a obra merece ser vista em tela grande, com imagem e sons apropriados).


Há ainda os desníveis dentro de uma mesma categoria: "Wendy and Lucy" é um filme que achei fraco, meio que um sintoma de um certo cinema "cabeça", influenciado por Gus Vant Sant e irmãos Dardenne (o anterior da diretora Kelly Reichardt, "Old Joy", já era um "Vant Sant sem talento"), mas bem menos indigesto que "Quanto Vale ou é Por Quilo?", um dos filmes mais irritantes que já tive o desprazer de ver. Ambos estão nas mediocridades vistas, mas o filme de Reichardt é bem superior que o filme de Sérgio Bianchi.


De qualquer forma, aqui vai a lista mais ou menos em ordem de preferência:


As obras-primas

1. As Coisas Simples da Vida, de Edward Yang (2000)
2. O Buraco, de Tsai Ming-Liang (1998)
3. Intervenção Divina, de Elia Suleiman (2002)
4. Pickpocket, de Robert Bresson (1959)
5. Os Guarda-Chuvas do Amor, de Jacques Demy (1964)


Os grandes

6. Two Lovers, de James Gray (2008)
7. Three Times, de Hou Hsiao-Hsien (2005)
8. O Prisioneiro da Grade de Ferro, de Paulo Sacramento (2004)
9. Guerra ao Terror, de Kathryn Bigelow (2008)
10. Peões, de Eduardo Coutinho (2004)
11. A Cidade das Dores, de Hou Hsiao-Hsien (1989)
12. A Mosca, de David Cronenberg (1986)
13. Romance, de Guel Arraes (2008)


Os legais

14. Café Lumiere, de Hou Hsiao-Hsien (2003)
15. As Férias do Sr. Hulot, de Jacques Tati (1953)
16. Religulous, de Larry Charles (2008)
17. Ouro Carmim, de Jafar Panahi (2003)
18. Os Estranhos, de Bryan Bertino (2008)
19. Ser e Ter, de Nicolas Philibert (2002)
20. Sim Senhor, de Peyton Reed (2008)


Os medíocres

21. Rede de Mentiras, de Ridley Scott (2008)
22. Wendy and Lucy, de Kelly Reichardt (2008)
23. Quart4 B, de Marcelo Galvão (2005)
24. Um Homem Bom, de Vicente Amorim (2008)
25. Quanto Vale ou é Por Quilo?, de Sérgio Bianchi (2005)